Antes / Durante

Quando uma mãe volta a dormir a noite toda Se você quer dormir a noite inteira, não tenha filhos Milene Massucato

30 de setembro de 2013

Quando uma mãe volta a dormir a noite toda

Aproveite para dormir enquanto seu filho não nasce

Só depois de se ter um filho entendemos o valor de se dormir a noite toda.

Quando estamos grávidas, o conselho não solicitado mais ouvido é aquele sobre dormir.

“Aproveita para dormir bastante agora, antes de o bebê nascer!”

Instintivo ou fisiológico, o fato é que grávidas sentem muito, muito sono, e por isso acabam acatando os conselhos dissipados.

Mas, mesmo curtindo a fase do sono, eu nunca compreendi o real sentido dessa sabedoria de vovó. Até que meu filho nasceu.

Aquele momento mágico do florescer de um amor incondicional. O transe que a maternidade proporciona dura alguns dias, poucos meses. Embriagadas pelo nascimento de um filhote, permanecemos aturdidas, num constante estado de conquista e realização, que nada mais é do que o estabelecimento do vínculo mãe-filho.

Mas, como o calor das paixões, o tempo vai fazendo a novidade se transformar em rotina, o extraordinário vai virando contumaz, o estranho vai se tornando familiar.

E as poucas horas de sono deixam de ser extravâncias inerentes ao inebriamento da chegada de um filho e, meses depois, se tornam uma rotina sacrificante.

Desesperada, pedi ajuda. Perguntei a uma mãe mais experiente quando é que a gente voltava a dormir de novo.

A resposta veio como um café forte e um banho frio no bêbado: Nunca mais!

Depois da embriaguez, vem a ressaca, a moral, que fica martelando na sua cabeça “eu devia ter ouvido os conselhos sobre dormir…”

Mas você não dormiu, se extasiou com o nascimento do filho, e agora está cheia de olheiras, lendo este texto e se identificando com cada linha.

Desculpe-me a franqueza, mas você nunca mais vai dormir.

Você vai se levantar todas as noites. Para amamentar, para cobrir a cria que se descobriu, para verificar se está respirando, para velar o sono, para aferir a febre, para dar remédio, para não perder a hora da escola, porque está preocupada, porque o tempo está levando seu bebê embora, porque ele já deveria estar lendo, porque as notas de matemática não estão boas, porque foi dormir na casa do amiguinho, porque ele anda cabisbaixo, porque arrumou uma namorada, porque você precisa ir buscá-lo às 2h na festa, porque ele dormiu no amigo, porque ele ainda não chegou, porque você não sabe mais nada sobre a vida dele, porque ele saiu com seu carro, porque está desempregado, porque arrumou uma nova namorada, porque ele está apaixonado, porque eles vão se casar, porque você vai ser avó.

E assim o ciclo da vida vai se cumprindo, e chegará a hora de você dizer à sua filha ou sua nora “Dorme, dorme bastante agora”.

autor_milene.jpg

Milene é CEO em atividades materno-domésticas (do lar, não!), já que achou a maternidade mais legal do que todos os ofícios que já teve: de psicopedagoga a revisora de textos. Acha seu nome bonito, mas também atende por diiirce, pseudônimo que dá nome a seu blog, o www.diiirce.com.br.

Deixe o seu Comentário



Editoriais em Destaque

Socorro, meu filho não quer fazer inalação!

20 de dezembro de 2013

Essa hora costuma ser traumática? Então, dê uma olhadinha em nossas sugestões

Festa infantil em casa ou em buffet?

2 de setembro de 2013

Conheça as vantagens e as desvantagens de cada opção

Mensalão: entenda de forma fácil esse escândalo

4 de julho de 2013

Um texto feito para você compreender o cenário político do país onde criamos nossos filhos

Deixe o sentimento político renascer

21 de junho de 2013

Você quer entender melhor o momento político pelo qual estamos passando? Então, dê uma olhadinha neste post! Ele explica de um jeito fácil e acessível a situação atual de nosso país.

Galeria Mulher e Mãe