Depois / Maternidade Real

3 limites que toda mãe encara Mente, corpo e paciência. Em qual fase você está? Helena Dias

16 de outubro de 2013

3 limites que toda mãe encara

Mãe não tem tempo para nada, mas arruma um tempinho para tudo!

Oi, mommys! Eu estou mega na correria com os preparativos da festinha do #beni1ano, com novos projetos no trabalho, tentando me manter fiel à malhação, e outras coisitas mais que deixam a minha e a sua vida atarefadas. No meio das semanas mais loucas do ano, ainda dou uma surtada porque subo na balança e ela insiste em me dizer que engordei. Ando até trocando o almoço por um horário na manicure (pausa para feminices, a gente merece). Nosso tempo vive no limite, não é? E se tem gente que entende de limites, somos nós: mães!

O primeiro limite que ultrapassamos é o físico, durante a gravidez. A gente literalmente dobra de tamanho, fica meio desajeitada… Eu nunca tinha alcançado antes o peso que alcancei quando engravidei. Aff, nem acredito quando lembro dos números.

Depois, o bebê nasce e a gente conhece o limite do cansaço; mental e físico. Tenho vontade de chegar na voadora em quem chama a licença maternidade de férias estendidas, né? Noites sem dormir, dias sem dormir, peito latejando, corpo inchado, bebê chorando… Sério: um bebê tamanho RN em casa é mais hard working do que o exército.

Ainda bem que, aos poucos, as coisas vão se ajeitando… Até a primeira vez que seu filho fica doente. Deus deveria proibir as crianças de ficarem doentes. Nem resfriado deveria ser permitido (fica a dica aí em cima). Aí os babys vão crescendo e testam um outro limite nosso: o da paciência. O meu filhote ainda é pequeno, mas sei bem o que os maiores aprontam por aí. E por aí se vão os limites que só as mães sabem como são.

Quando seu filho completa uns 3 anos, você já passou pela prova dos 3 limites: do corpo, da mente e da paciência. Tá graduada e prontinha pra tirar o diploma de heroína! Mães deviam ser abraçadas, elogiadas, maquiadas e abanadas T-O-D-O-S O-S D-I-A-S!

Mas o que faz a gente chegar ao limite mesmo, entrar em êxtase, delirar, chorar e rir é o amor que esses pequenos espremem. Eu não sabia que era capaz de tanto até descobrir que estava grávida. É um amor infinito, sem hora pra acabar.

Beijos em vocês e nos pequenos.

helena.jpg

Helena Dias é jornalista e mãe de primeira viagem. Junto a maternidade, descobriu a delícia de planejar festas e caçar tendências por aí. Vive na correria e seu passatempo favorito é apertar as bochechas do Benício. Mãe coruja, mantém um instagram @corujicess, onde compartilha as descobertas do filhote.

Deixe o seu Comentário


  • Fabiana Deziderio

    A gente acha que não vai conseguir, mas consegue. Adorei o “vale mãe”…aceito abraços mil e todo o resto também, rs.
    bjs

  • Silma Matos

    Já passei todas essas fases, estou graduada, doutorada, PHD… Filha já tem cinco anos. Então posso me considerar assim.
    Adorei.
    Bjs

  • Nina ensina…

    é hard punk, mas vale cada esforço… passa rápido e, sabe o mais louco? a gente depois sente saudades!!! rs um beijo!! Carol


Editoriais em Destaque

Amamentação: somos mais que um par de peitos

2 de dezembro de 2013

No momento mais sensível, temos que tomar uma decisão: amamentar ou não

Mães conectadas

27 de maio de 2013

A maternidade é um momento de descobertas e as vezes, de solidão. Os grupos maternos da internet dão dicas e apoio para as mulheres neste momento tão especial. Venha conhecer alguns grupos bacanas!

Dicas para desfralde

29 de janeiro de 2013

Conheça as dicas das mães que já passaram pela fase do desfralde

20 formas de usar o lenço umedecido

4 de novembro de 2013

As funções desse produto vão muito além da higiene do bebê. Você vai se surpreender

Galeria Mulher e Mãe