De mãe para mãe / Depois

A crise dos 2 anos de idade: bebê ou criança? Como a chegada do nosso segundo filho tem mexido com a Nina Carol Baggio

12 de setembro de 2013

A crise dos 2 anos de idade: bebê ou criança?

Dilemas da infância: bebezinha ou menina grande, eis a questão!

Na crise dos 2 anos de idade, Nina anda indecisa se é menina grande ou bebê. Engraçada essa fase… (parece que se intensificou depois da descoberta da chegada do irmão): para algumas coisas é arrojada e não quer ajuda; para outras, parece voltar no tempo – e a gente fica só acompanhando a história sobre o crescimento dos filhos.

Fui num encontro com duas amigas que têm filhas mais velhas (9 e 10 anos) e foi um barato ver a minha pequena, do alto dos seus 2 anos e 10 meses, se enturmar com as meninas. Ok, para elas a Nina era tipo a “irmãzinha mais nova”, muito fofas. Me diverti quando levei a Nina no banheiro e perguntei: “vocês estão brincando do que, filha?”,  e ela respondeu: “a ‘zente’ tá ‘blincando’ de conversar”. Imaginem a cena: duas pré-adolescentes adoráveis conversando sobre a vida e uma pirralha participando ativamente. Achei o máximo.

Por outro lado, tem horas que minha menina vira uma grande bebezona. Chora por tudo, quer colo e chupa o dedo (ai, que difícil carregá-la no colo aos 6 meses e pouco de gravidez!). E quando começamos a ganhar algumas coisas pro Bento? Ela encarnou o “bebezinha mode on repeat” – e o ciúme começou a aflorar. Bom, encaramos isso como um processo mais do que natural, afinal de contas, tudo sempre foi só dela e pra ela, e imaginamos que quando o irmão estiver fora da barriga esse sentimento ficará ainda mais forte (por outro lado, há momentos deliciosos de muito carinho, como quando ela canta pra ele ou ajuda a passar o creme na minha barriga).

E aí que, eu como mãe, fico olhando as reações da Nina e viajo no tempo sobre o crescimento dos filhos. Sim, ela ainda não se decidiu se é grande ou pequena, vive no meio de muitas emoções diante do crescimento e está aprendendo a lidar com todas as mudanças. Mas a verdade é que, se fosse possível, bem que eu queria que ela continuasse bebê a ponto de sempre caber no meu colo – recorrendo a mim cada vez que pintasse a vontade de um dengo – e que virasse menina grande, “conversando” com as amigas sobre a vida e o mundo…

Alguma mãe aí tem essa vontade também?

carol_interna

Jornalista de Campinas que, apesar de morar desde 2002 em São Paulo, continua puxando o erre. Carol Baggio vive de dieta e adora protetor solar com base. Libriana, acha que é uma pessoa um pouco indecisa, talvez. “Amasiada” com o André, mãe da Nina e autora do blog Nina Ensina.

Deixe o seu Comentário



Editoriais em Destaque

Como guardar as memórias em espaços pequenos

13 de maio de 2013

Você precisa de ajuda para organizar as memórias de seu filho? Então, dá uma olhadinha neste post, ele está cheio de dicas.

Mãe: oito razões para conquistar esse título

25 de julho de 2013

Mulheres revelam por que ser mãe foi a melhor coisa que aconteceu em suas vidas

Conselhos para quem vai ter um bebê

25 de fevereiro de 2013

A primeira viagem de uma mãe é inesquecível, mas ela é sempre envolvida por amor, dúvidas e um bocadinho de ansiedade. Então, para te ajudar, perguntamos para algumas mamães que já estão na estrada, que conselhos elas dariam. Vamos?

Visita na maternidade: o que fazer

30 de setembro de 2013

Saiba o que fazer e como não agir neste momento delicado - e claro, feliz

Galeria Mulher e Mãe