Depois / PostNovela

Cap. 34 – “É bom para o moral” Joaquim descobre que pode usar seu encantador vocabulário para tirar sarro da própria mãe :} Fabiana Deziderio

8 de novembro de 2012

Cap. 34 – “É bom para o moral”

A gente cria no doce caramelado de geladeira e quando cresce um bocadinho, faz isso ai...rs.

Semana passada falamos sobre uma experiência constrangedora envolvendo um menino, um protetor e uma perna de mãe. Não viu? É só clicar aqui.

Episódio de hoje: “É bom para o moral”

Autoestima de mãe é tipo uma montanha-russa e normalmente estamos na queda com frio na barriga. Um olhar torto, uma palavra mal colocada e lá estamos nós nos sentindo as piores pessoas. Então, some a isso um moleque de 3 anos que descobriu um vocabulário ótimo para detonar “o moral” desta pobre pessoa/mãe que vos escreve.

E como rir ainda é o melhor remédio, vou fazer este capítulo nos moldes stand-up comedy. Sabe quando um piadista se apresenta sozinho num bar? Quando ele fica num banquinho, sob uma luz mais fraca falando de coisas e mais coisas sobre a própria vida? Pois então, é desse jeito ai. Só que, para deixar a coisa mais adaptada ao nosso universo, vou escolher um cadeirão e um microfone de brinquedo, pode ser o do Sid Cientista que está no foto do post de hoje :)

Alô, testando, 1, 2, 3…hora de começar!

Piada 1

Joaquim olha pra mim, depois põe o dedo na minha barriga e diz: – Mamãe, o que é isso?
- Isso o que? (eu sabia que ele estava falando da “pochetinha de banha” ou do “topo do muffin”, como preferir).
- Isso na sua barriga (apertando o excesso de fofura) ? É outro “bibê”?
- Não Joaquim, não é outro bebê (com uma voz arisca/derrotada).

É perigoso falar isso para uma mãe. Como pode? O moleque não tem noção de perigo gente.

Piada 2

- Mamãe, mamãe?
- Oi filho.
- Você pode arrumá minha mala?
- Pra que?
- Pra eu ir embóla pala outa mãe.
- Posso saber o motivo?
- Poque eu num gosto di você

Como assim ir embora? Como assim não gostar de mim. Tudo bem que não sou a pessoa mais perfeita do mundo, mas é cuspir no prato, “né, não?”

Piada 3

Joaquim pega meu sutiã, encaixa nos braços e diz: – Que é isso mamãe?
- Sutiã filho
- Põe no peito, né mamãe?
- Sim filho
- Que peito gandi, né?
- É Joaquim :///////

E enquanto isso, o pai morrendo de rir tira o sutiã de joaquim e coloca na cabeça para simular um chapéu de piloto de avião. É ou não é muita humilhação para uma mãe só?

Piada 4 – hora de acabar o show :)

- Mamãe, onde você compou essa ropa?
- Na loja, por que?
- Porque é velha e feia.

Ai “cê” faz o que? Liga pro terapeuta, marca consulta dupla, dorhttp://mulheremae.com.br/wp-admin/post.php?post=554&action=edit&message=1me no divã, né?

A sorte é que Joaquim é dono do meu coração. As vezes acho que a gente tem um amor bandido, sabe essa coisa de relacionamento intenso? Mas cada vez que ele abre um sorriso o mundo para e eu entendo porque passo por todas essas fases de humilhação gratuita.

Obrigada pela visita e lembrem-se de dar a gorjeta para o garçom que serviu a sua mesa durante esta apresentação!

DJ, favor soltar a música escolhida para este capítulo. Poesia pura ou seu dinheiro de volta!!!

FIM

E na próxima semana teremos mais: Fragmentos da Vida Materna – a primeira postnovela materna brasileira!

Deixe o seu Comentário



Editoriais em Destaque

Dicas para desfralde

29 de janeiro de 2013

Conheça as dicas das mães que já passaram pela fase do desfralde

O que levar na bolsa do bebê

14 de outubro de 2013

Uma lista completa de itens que precisam ser levados nos passeios

Livros infantis para cada idade

10 de dezembro de 2013

Sugestões de histórias e dicas para incentivar a leitura desde cedo

Conselhos para quem vai ter um bebê

25 de fevereiro de 2013

A primeira viagem de uma mãe é inesquecível, mas ela é sempre envolvida por amor, dúvidas e um bocadinho de ansiedade. Então, para te ajudar, perguntamos para algumas mamães que já estão na estrada, que conselhos elas dariam. Vamos?

Galeria Mulher e Mãe