Depois / Durante

O estranho mundo dos meninos Adorável mundo azul! Fabiana Deziderio

26 de abril de 2013

O estranho mundo dos meninos

Quando os meninos nascem, entramos em um mundo de descobertas.

Eu sempre achei que seria mãe de uma garotinha. Nenhum motivo racional para acreditar nisso, mas, como sempre fui cercada de mulheres, entendi que seria uma continuidade de minhas experiências.

Só que, no ultrassom de 24 semanas, veio a confirmação: – “Mãe (porque a gente não tem mais nome, né?), é um menino. Olha aqui o “pipi” dele.”

E é exatamente sobre o mundo do “pipi” (ou pênis, que é o termo correto) que quero falar, porque entre muitas coisas, essa foi a que gerou maior estranhamento na minha condução materna, afinal de contas o relacionamento menino/pinto é muito forte e para piorar eu não tenho um para saber como funciona. ;)

Então, vou falar de algumas situações emblemáticas nas quais minha única reação foi pedir um HELP!

Ereções espontâneas em bebês

Ok, ereção na minha cabeça era coisa de adulto e estava relacionada a sexo. Logo, quando vi um bebê com um pipi durinho na troca de fraldas dei uma estranhada básica. Ai, como eu não sabia exatamente como proceder, gritei pro marido: – Fecho a fralda com o “instrumento” pra baixo ou pra cima? Resposta: Pra cima. Mas o pediatra de Joaquim disse que a ereção passa rapidinho e que é melhor guardar para baixo. Isso evita que a urina fique em contato com a barriguinha do bebê.

Estilingadas do “mindoim”

Os meninos descobrem os pés, as mãos e……. O PINTO!!! Ai, eles começam a puxar, a esticar, a esssstiiiiiccccaaaarrrrrrrrrrrrrrrrrrrr muito e por fim, soltar. Eu ficava em pânico na hora do banho porque aquilo parecia doer. Mas me contentava em pensar: se doesse ele não faria.
Observação: Nessa época eu entendi um pouquinho porque meninos demoram para crescer. Com tanto entretenimento, fica difícil olhar para o resto do mundo…

Descobrir que o pênis os classifica como meninos

Em determinado momento (entre 2 e 3 anos) as crianças descobrem a diferença entre meninos e meninas. É também nessa época que eles nos colocam na maior saia justa perguntando para todos: Você tem pinto? É menino?
Vontade de ir ali falecer e voltar, viu? Mas faz cara de bonita e segue, ninguém escapa dessa fase.

Ficar catucando a mandioca (e descobrir que ela pode ficar dura)

Olha, só quero dizer que isso é normal. Eles descobrem que é divertido (sem conotação sexual – porque isso é coisa de adulto) e pronto. Eu fico meio sem jeito, mas já aprendi que, no momento, tenho que ensinar 2 coisas bem importantes pra ele: 1) Conceito de intimidade (não pode fazer na rua, nem na frente das pessoas, porque é íntimo) e 2) Nenhum adulto pode mexer, tocar, encostar. Se acontecer, tem que me contar imediatamente (falar sobre pedofilia nessa fase é duro, mas é tão importante e tão necessário que não me canso de repetir).

Soltar ou não a pele (possível fimose)

O pediatra de Joaquim é contra puxar a pele. Quando ele era pequenino até usei uma pomadinha para ajudar nas massagens, mas não insisti porque alguns componentes da pomada vão para a circulação sanguínea.

O desfralde

Eu não sabia o que fazer. Se ele deveria fazer xixi sentado ou em pé. Perguntei para algumas mães e descobri que não tinha um “certo ou errado”. Então, comecei com ele sentado. Com o passar do tempo ele começou a copiar o pai e agora só quer fazer de pé, já que ele é um “menino grande”.
Dito tudo isso, quero deixar claro que o mundo dos meninos é estranho, mas é absolutamente adorável. Eles são objetivos desde pequeninos e desde pequeninos demonstram a maior intimidade com o pênis, rs. Como bem disse meu marido: “Ter pinto é muito legal, é como ter um animal de estimação no corpo pelo resto da vida”.  :]]]

Bjs grandes.

Deixe o seu Comentário



Editoriais em Destaque

Ano novo: o que desejamos para nossos filhos em 2014

16 de dezembro de 2013

Confira a lista de pedidos das nossas mulheres e mães

Mensalão: entenda de forma fácil esse escândalo

4 de julho de 2013

Um texto feito para você compreender o cenário político do país onde criamos nossos filhos

Socorro, meu filho não quer fazer inalação!

20 de dezembro de 2013

Essa hora costuma ser traumática? Então, dê uma olhadinha em nossas sugestões

Como escolher a escola

23 de janeiro de 2013

Perguntamos para as mulheres e mães quais são os pontos importantes para escolher o colégio das crianças

Galeria Mulher e Mãe