Depois / Maternidade Real

Quando a mãe deixa de ser a preferida O cansaço pode nos afastar dos pequenos sem que percebamos Helena Dias

30 de outubro de 2013

Quando a mãe deixa de ser a preferida

As crianças nos fazem enxergar o que escondemos de nós mesmas

Coração de mãe sofre, não é? Estes dias experimentei uma dor única: aquela de ver seu filho preferindo outros braços além dos seus. E tive que sentir isso na sala de espera de um pronto-socorro (PS), toda encharcada de vômito, rabo alto pra esconder o cabelo desarrumado e Havaianas no pé. Ou seja, não teve nenhum glamour pra disfarçar a minha tristeza.

No último sábado, o Beni começou a chorar incessantemente; não queria colo, não queria chão, não conseguia dormir… Barriga inchada, mãe desesperada e de novo fomos ao PS (pela terceira vez no mês). E nessa correria toda, Beni rejeitando meu colo. Só queria o pai. O pai é quem o busca na escola (herói) e a mãe quem o deixa (bruxa). O pai fica com ele durante a tarde, brincando, sem nada pra fazer. Já a mãe, quando tá em casa, tem que deixar tudo em ordem, arrumar as coisas dele, da casa e as dela, quando sobra tempo (e aí entram as tarefas de dona de casa). A mãe tá sempre pra lá e pra cá… Você já viu essa cena em algum lugar? Pois é! Às vezes eu queria ser pai e às vezes acho que já sou mais pai do que mãe. Todos os dias agradeço por ser mamãe, mas as cobranças são muito maiores.

E o reflexo de toda essa correria veio assim, com uma rejeição, mostrando que naquele momento ele queria mais o pai do que a mãe. Isso faz qualquer mãe se sentir pequenininha! Demorou um tempo para eu perceber (ou aceitar) que a culpa disso é minha. A maternidade é assim: a gente às vezes erra tentando acertar.  Tenho cansaço acumulado, ando trabalhando demais, não sobra muito tempo pra nada. A paciência fica mais curta e as irritações são maiores. Tem a festa, tem o supermercado pra fazer, tem roupa pra lavar, tem a fantasia de Halloween (graças a Deus a madrinha deu um jeito nisso – viva as madrinhas que ajudam as mães)… Não vai dar, não vai dar!

Não deixo de ficar com o Beni e meu tempo livre hoje é exclusivo dele. Mas não adianta apenas estar presente. Mãe-caco não serve para muita coisa, certo? Vem a culpa, vem a raiva, vem a bronca por ser você a ter que fazer tudo e às vezes não ter ajuda. E mães precisam de ajuda, principalmente aquelas que não reconhecem o quanto estão desgastadas (tipo eu, que abraço o mundo e faço de tudo). Precisamos de alguém pra dizer: DESACELERA. Obrigada, filho, por me dar essa bronquinha!

Você também já acelerou demais? Pense nisso!

Beijos.

 

helena.jpg

Helena Dias é jornalista e mãe de primeira viagem. Junto a maternidade, descobriu a delícia de planejar festas e caçar tendências por aí. Vive na correria e seu passatempo favorito é apertar as bochechas do Benício. Mãe coruja, mantém o instagram @corujicess, onde compartilha as descobertas do filhote.

Deixe o seu Comentário



Editoriais em Destaque

Dia das crianças: que tal fazer coisas simples?

7 de outubro de 2013

Brincar, abraçar, cozinhar e até mesmo não usar o celular são agrados que, para muitos, valem mais que um presente

Dicas para desfralde

29 de janeiro de 2013

Conheça as dicas das mães que já passaram pela fase do desfralde

Como guardar as memórias em espaços pequenos

13 de maio de 2013

Você precisa de ajuda para organizar as memórias de seu filho? Então, dá uma olhadinha neste post, ele está cheio de dicas.

Amamentação: somos mais que um par de peitos

2 de dezembro de 2013

No momento mais sensível, temos que tomar uma decisão: amamentar ou não

Galeria Mulher e Mãe