Depois / Maternidade Real

Quando a mãe deixa de ser a preferida O cansaço pode nos afastar dos pequenos sem que percebamos Helena Dias

30 de outubro de 2013

Quando a mãe deixa de ser a preferida

As crianças nos fazem enxergar o que escondemos de nós mesmas

Coração de mãe sofre, não é? Estes dias experimentei uma dor única: aquela de ver seu filho preferindo outros braços além dos seus. E tive que sentir isso na sala de espera de um pronto-socorro (PS), toda encharcada de vômito, rabo alto pra esconder o cabelo desarrumado e Havaianas no pé. Ou seja, não teve nenhum glamour pra disfarçar a minha tristeza.

No último sábado, o Beni começou a chorar incessantemente; não queria colo, não queria chão, não conseguia dormir… Barriga inchada, mãe desesperada e de novo fomos ao PS (pela terceira vez no mês). E nessa correria toda, Beni rejeitando meu colo. Só queria o pai. O pai é quem o busca na escola (herói) e a mãe quem o deixa (bruxa). O pai fica com ele durante a tarde, brincando, sem nada pra fazer. Já a mãe, quando tá em casa, tem que deixar tudo em ordem, arrumar as coisas dele, da casa e as dela, quando sobra tempo (e aí entram as tarefas de dona de casa). A mãe tá sempre pra lá e pra cá… Você já viu essa cena em algum lugar? Pois é! Às vezes eu queria ser pai e às vezes acho que já sou mais pai do que mãe. Todos os dias agradeço por ser mamãe, mas as cobranças são muito maiores.

E o reflexo de toda essa correria veio assim, com uma rejeição, mostrando que naquele momento ele queria mais o pai do que a mãe. Isso faz qualquer mãe se sentir pequenininha! Demorou um tempo para eu perceber (ou aceitar) que a culpa disso é minha. A maternidade é assim: a gente às vezes erra tentando acertar.  Tenho cansaço acumulado, ando trabalhando demais, não sobra muito tempo pra nada. A paciência fica mais curta e as irritações são maiores. Tem a festa, tem o supermercado pra fazer, tem roupa pra lavar, tem a fantasia de Halloween (graças a Deus a madrinha deu um jeito nisso – viva as madrinhas que ajudam as mães)… Não vai dar, não vai dar!

Não deixo de ficar com o Beni e meu tempo livre hoje é exclusivo dele. Mas não adianta apenas estar presente. Mãe-caco não serve para muita coisa, certo? Vem a culpa, vem a raiva, vem a bronca por ser você a ter que fazer tudo e às vezes não ter ajuda. E mães precisam de ajuda, principalmente aquelas que não reconhecem o quanto estão desgastadas (tipo eu, que abraço o mundo e faço de tudo). Precisamos de alguém pra dizer: DESACELERA. Obrigada, filho, por me dar essa bronquinha!

Você também já acelerou demais? Pense nisso!

Beijos.

 

helena.jpg

Helena Dias é jornalista e mãe de primeira viagem. Junto a maternidade, descobriu a delícia de planejar festas e caçar tendências por aí. Vive na correria e seu passatempo favorito é apertar as bochechas do Benício. Mãe coruja, mantém o instagram @corujicess, onde compartilha as descobertas do filhote.

Deixe o seu Comentário



Editoriais em Destaque

Visita na maternidade: o que fazer

30 de setembro de 2013

Saiba o que fazer e como não agir neste momento delicado - e claro, feliz

Dicas para desfralde

29 de janeiro de 2013

Conheça as dicas das mães que já passaram pela fase do desfralde

Dia das crianças: que tal fazer coisas simples?

7 de outubro de 2013

Brincar, abraçar, cozinhar e até mesmo não usar o celular são agrados que, para muitos, valem mais que um presente

Festa infantil em casa ou em buffet?

2 de setembro de 2013

Conheça as vantagens e as desvantagens de cada opção

Galeria Mulher e Mãe