Maternidade Real / Depois

Como impor limites aos filhos Saiba se a técnica do quadro de regras funciona Mulher & Mãe

25 de setembro de 2013

Como impor limites aos filhos

A hora de impor limites na educação infantil não precisa ser uma luta!

Nós sabemos que impor limites aos filhos é um dos maiores desafios da maternidade. Isso porque, diariamente, precisamos orientar os pequenos com muito amor e paciência. Dia desses, em nosso grupo do facebook, surgiu um assunto bem interessante: o quadro de regras, ou melhor, um tipo de “contrato formal” entre as partes (pais e filhos), do que pode e do que não pode ser feito em casa.

Algumas mães concordam que o método funciona, outras ficam confusas, principalmente, na hora de reforçar positivamente a criança (como quantificar o bom comportamento?). Por isso, buscamos a ajuda da pedagoga especialista em psicopedagogia e psicomotricidade infantil, Larissa Fonseca. Vamos?

Mulher&Mãe – De maneira geral, o que é e como funciona o quadro de regras?

Larissa – A ideia do quadro é incentivar o cumprimento das regras, mostrando e relembrando as crianças sobre aquilo que devem ou não fazer, como devem ou não agir. Enfim, ele funciona se os pais seguirem e persistirem no que está descrito ali. Isso porque a criança terá um lembrete concreto o tempo todo por perto.

M&M – Essa técnica pode ser aplicada para todas as crianças? Há uma faixa etária específica?

Larissa – A técnica é mais eficiente com crianças a partir de 1 ano e meio e funciona até os 5 ou 6 anos. O que vai mudar é o modo como o quadro é feito e sua apresentação.

M&M – Como montar o quadro de regras? 

Larissa – O quadro de regras deve ser montado com o reforço positivo e, de preferência, em grupo (com toda a família). Com as crianças mais novas, o trabalho de usar imagens e colá-las no quadro deve ser conjunto. Alguns itens são os pais que determinam. Já outros, a criança pode sugerir enquanto os pais explicam porquê aquilo será ou não inserido no quadro. A dica do reforço positivo é: ao invés de escrever “não bater”, escreva “seja gentil” ou “converse quando quiser algo”. Substitua o “não pode gritar” por “fale baixo”, prefira “mantenha o quarto arrumado” ao invés de “não pode bagunçar” etc. Cada família deve inserir aquilo que marca e é significativo dentro de sua rotina. Descreva (com uso de imagens até os 4 anos) quais são as regras de comportamento e convivência, e deixe explícito as consequências para o cumprimento ou não das mesmas.

M&M – O que pode levar o quadro de regras a não funcionar? Quais práticas dos pais podem desacreditar o quadro?

Larissa – O quadro não vai funcionar se os pais descumprirem o que está ali ou se só o fizerem de vez em quando. Para que funcione, é preciso que as crianças entendam e percebam que aquilo é real e que trará consequências para seus atos. Se elas perceberem que  os pais seguem as regras apenas às vezes, a técnica não funcionará. É importante ressaltar que os pequenos nos testam bastante e será preciso que todos relembrem, reforcem e apliquem as consequências do quadro algumas vezes, até que eles percebam que a proposta está valendo. E isso se refere tanto à perda de privilégios quando não cumprirem o acordo, como também ao reforço positivo quando cumprirem.

MM – Alguns quadros de regras funcionam com um esquema de recompensa, você acha isso válido? Pensando na educação das crianças, ganhar recompensas pelo bom comportamento não é errado, visto como um tipo de suborno?

Larissa – O quadro de merecimento é controverso.  Acredita-se que a criança não deve ser recompensada por fazer algo que, teoricamente, é de sua responsabilidade ou dever. Eu acredito que, assim como nós, a criança se sente feliz quando tem um esforço seu reconhecido. A questão é que esse reconhecimento não precisa vir em forma material, como um presente etc. Um elogio, um agradecimento, uma lembrança de que o fato dela fazer tudo direitinho faz com que sobre tempo para brincar com sua mãe, por exemplo, é uma forma de mostrar sua satisfação e também, da criança perceber que fez uma boa escolha ao agir de acordo com as regras. Esse tipo de reforço é positivo e construtivo. A ideia educativa do quadro de regras é que a criança aprenda que existem consequências positivas e negativas para seus atos e que ela deve fazer boas escolhas e não condicionar seu comportamento baseada naquilo que vai ganhar materialmente.

MM – Para garantir o sucesso do método, quais as principais dicas que você poderia nos dar?

Larissa – Estabeleça regras possíveis e que todos irão manter. Evite fazer o quadro em um momento de estresse. Coloque as frases na afirmativa (sentar-se para comer ao invés de não pular na mesa). Ouça o que a criança tem a dizer e considere colocar algo, mesmo que tenha que adaptar. As regras devem servir para toda a família. Para os pequenos com menos de 4 anos, coloque junto com a frase uma imagem representativa. Explique tudo calmamente e com clareza. Certifique-se de que ele entendeu, perguntando algumas vezes se tem dúvidas. Coloque também regras divertidas (como exemplo: todos devem dar boa noite, ou toda quinta-feira vamos conversar/jogar um jogo). Explique com clareza quais serão as consequências do cumprimento ou descumprimento das regras. As perdas de privilégios ou castigos devem ser bem claros e executáveis. Assim, evite dizer que a criança será privada de assistir TV ou brincar por uma semana, ou que não haverá festa de aniversário, se você sabe que não o fará. A consequência deve acontecer imediatamente após o ato, principalmente, para crianças de 1 ano e meio a 3 anos, para que entenda a relação entre ela e seu comportamento. É possível dar certa liberdade aos pequenos em relação ao cumprimento das regras, o que pode facilitar com que eles as cumpram, ou seja, se definiram que às 21h é o momento de ir para a cama e que antes disso devem guardar os brinquedos e escovar os dentes, deixe que a criança defina a ordem em que fará as coisas. Jamais ceda às birras e chantagens (mesmo as chantagens emocionais). Não abra exceções.

Na prática, usar o quadro de regras exige paciência, diálogo e orientação. Educar com limites é sem dúvida a maior prova de amor que nós, mães e pais, podemos dar aos nossos filhos.

Se você ainda tem dúvidas sobre o quadro de regras ou sobre educação, a Larissa Fonseca oferece ajuda e responde muitas delas em seu site: www.larissafonseca.com.br. Dá uma olhadinha lá!

Aqui vão algumas sugestões de imagens que podem ser utilizadas em seu quadro:

Beijos e boa sorte!

 

Imagens: Maurício de Souza

Deixe o seu Comentário



Posts em Destaque

Corpo de mãe: preparada para mudar

23 de setembro de 2013

Nós, mulheres, temos que nos acostumar a um corpo diferente em cada etapa da vida

Cap. 5 – Banheiro

8 de março de 2012

No episódio anterior passei por um certo mau humor na hora de colocar um biquíni. Se perdeu esta briga mental estilo ultimate fighter é só clicar aqui. Episódio especial para semana Mulher e Mãe: Banheiro Começo este folhetim on-line

Verdades maternas…

23 de abril de 2013

Pode parecer estranho, mas as famílias são reais e estão longe de parecer um comercial de margarina. Se você concorda com isso, vem cá e dá uma olhadinha nesse post.

10 recommended Most desirable Advertising Networks to Monetize Mobile App www.TopMobileNetworks.com

10 de julho de 2016

In case you need your mobile game, or any other app for instance, to earn you hard earned cash (and I am wondering one does), you have probably witout a doubt regarded an advertising network. AdMob www.topmobilenetworks.com We also

Galeria Mulher e Mãe