PostNovela / Sempre

Cap. 45 – Eu não lembro Nem Freud explica o que acontece com uma mulher depois que ela vira mãe ;) Fabiana Deziderio

31 de janeiro de 2013

Cap. 45 – Eu não lembro

Eu tenho certeza que esqueci de fazer algo hoje, o problema é que eu nem lembro o que foi que eu esqueci, rs.

No capítulo anterior falamos sobre um rapaz de 3 anos que cismou que tem barba. Não viu? Clique aqui.

Episódio de hoje: Eu não lembro

Minha memória é tipo um triângulo das bermudas. Tá tudo lá, mas é difícil acessar.
Ontem mesmo fui ao médico…
- Que remédio a senhora está tomando?
- Hummm, acho que começa com “A”. Então, passo a lista na cabeça e concluo: Não me lembro (aliás, penso comigo, qual é mesmo o nome do médico?).

Dia desses uma amiga de trabalho voluntário me corrigiu:
- Fabi, meu nome é Aline e não Vivi.
- Como assim, eu te chamo de Vivi faz tanto tempo (como se a culpa fosse dela, veja bem, rs).
- É, eu sei, mas fiquei sem graça de te contar.
Repeti o nome dela um milhão de vezes para não mais esquecer. Na verdade, não foi um milhão de vezes, porque na terceira repetição eu esqueci porque estava fazendo aquilo…

O Má, pai do Joaquim, é outro que não se ligou na minha capacidade mental nula para guardar informações.
- Fabi, me ajuda a “não esquecer” de comprar tal coisa na farmácia?
- Má, já esqueci. Aliás, use a palavra “lembrar”, ela funciona “menos mal” que “não esquecer”, já que o cérebro ignora o “não” e reforça o “esquecer”.

Tem outra que também é bem simbólica, bem mesmo.

- Oi mãe, tudo bem? Se eu esqueci algo? Se está me ligando é porque esqueci, né? O que? Foi seu aniversário ontem?

Ah! Eu nunca lembro do meu aniversário de casamento, nunca mesmo. Ai, nem posso brigar com o Má.. :)))

Agora, em contrapartida, o moleque que saiu da minha barriga lembra de tudo!
- Mamãe, ontem você prometeu que faria brigadeiro.
- Foi é?
- Foi sim mamãe.
E vou falar, ele não se engana e não mente, ele lembra mesmo!

Aliás, invejo a capacidade que ele tem catalogar mentalmente todos os carrinhos que ganha (e são muitos, já que ele é filho, neto, sobrinho único):
- Mãe, quero o carrinho vermelho que tem uma coisinha branca na roda.
- Filho, você tem muitos carrinhos vermelhos.
- Mãe, esse foi aquele que eu ganhei do meu pai no sábado.
- É esse Joaquim?
- Não, esse eu ganhei da Tia Lu no domingo.

Mas vou falar, mesmo com a cabeça bem mais ou menos, eu não esqueço de fazer uma coisa todos os dias: Dizer o quanto eu amo meu Joaquim.

Já tá bom, né? :)

FIM

Quase esqueci da trilha…”xô” ver… achei uma boa…do filme “Como se fosse a primeira vez” que é um ícone da amnésia.

Não perca, não perca (o que mesmo?)… Ah, lembrei…o próximo episódio de Fragmentos da Vida Materna!!!

Deixe o seu Comentário



Editoriais em Destaque

Dia das crianças: que tal fazer coisas simples?

7 de outubro de 2013

Brincar, abraçar, cozinhar e até mesmo não usar o celular são agrados que, para muitos, valem mais que um presente

Livros Infantis para pais e filhos

29 de janeiro de 2013

Livros infantis estimulam a imaginação e são uma excelente atividade para pais e filhos.

Mãe: oito razões para conquistar esse título

25 de julho de 2013

Mulheres revelam por que ser mãe foi a melhor coisa que aconteceu em suas vidas

Como guardar as memórias em espaços pequenos

13 de maio de 2013

Você precisa de ajuda para organizar as memórias de seu filho? Então, dá uma olhadinha neste post, ele está cheio de dicas.

Galeria Mulher e Mãe